174. Mi Buenos Aires (quase) Querido – Parte 2

Segundo dia.

No sábado fizemos um citytour na parte da manhã. Passamos pelos principais pontos do centro, como a Casa Rosada e a Catedral, para depois seguir para a parte sul, onde paramos no colorido bairro La Boca. Lá tem várias opções para quem quer trazer alguma lembrança da cidade, mas fica a dica: Fora da avenida principal é possível encontrar as mesmas lembranças por menos da metade do preço. Finalizamos o tour na parte norte, na Recoleta, onde almoçamos (minha opção foi pela massa).

Pela tarde visitamos um Centro Cultural e o Cemitério do bairro, onde está a sepultura de Eva Perón. Me separei do grupo e decidi conhecer algumas partes da cidade que não estavam no citytour. Fui ao Buenos Aires Design (um shopping ótimo para quem quer trazer algum presente) e visitei a feira de artesanato na Recoleta. Depois segui para a Avenida Santa Fé (tomando mais um Freddo) e conheci a Livraria El Ateneo. Um antigo teatro muito lindo que foi transformado em uma livraria. É fascinante!

Segui pela Santa Fé a pé em direção ao hotel e percebi que essa avenida possui várias galerias (quase uma por quadra) e temáticas. Tem aquelas só com roupas femininas, outras mais familiares e outra – a que mais me chamou atenção – voltada para jovens punks, hippies, skatistas, tatuadores e mais um monte de tribos. Chama-se Bond Street e vale a pena conhecer.

Fui atrás de umas barras de Mantecol que haviam me pedido e percebi algumas particularidades no atendimento nos mercados argentinos. Limpeza é algo que praticamente não existe. Quando finalmente achei os chocolates pude sentir que tinha uma camada de poeira misturada com gordura na embalagem e por via das dúvidas resolvi não trazer aqueles. Outra característica é a lentidão. Não adianta ir às compras com pressa, se o balconista está falando no celular a prioridade é a ligação e não o cliente.

Depois de descansar um pouco saí sozinho mais uma vez disposto a ver como era a cidade pela noite. Ao contrário de Montevidéu (que fica mais linda quando o sol se põe), Buenos Aires não tem quase nada a não ser ruas semi-vazias e o sentimento de insegurança. Toda a agitação noturna fica restrita aos bairros mais afastados do centro, como o Palermo. Às 23:30 parei para jantar no único restaurante que achei aberto na Calle Florida – Um McDonalds. Foi o capitalismo salvando minha vida. O sanduíche de sábado a noite foi a maior e mais barata refeição que eu fiz na cidade.

Casa Rosada

Plaza de Mayo

La Boca

 

La Boca

 

La Boca

Floralis Generica

Cementerio de Recoleta

Cementerio de Recoleta

Cementerio de Recoleta

Cementerio de Recoleta

El Ateneo

Bond Street

Publicado em 27 de novembro de 2012, em Fotografia, Geografia, Viagem. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: