130. Sobre as obras em Cachoeirinha

Aproveitando que a @PMCachoeirinha está justificando (em parte) as atuais obras  na Avenida Flores da Cunha pelo Twitter, eu vou utilizar este espaço que me oferece mais de 140 caracteres para minifestar a minha opinião sobre o assunto.

Pois bem, para começar, quero salientar que não responsabilizo a prefeitura pelo caos ter chegado ao ponto em que está com o passar dos anos. Em hipótese alguma isto é culpa das últimas administrações. Cachoeirinha é uma cidade muito mal planejada e isto é um fato claro que qualquer um percebe.

A malha urbana ter se expandido ao longo de uma única avenida e sendo que esta avenida é ainda utilizada por outros municípios – destacando Gravataí – para se chegar a capital, só reforça nossos problemas de mobilidade.

Para quem é usuário de transporte coletivo o problema se agrava, pois a Transcal (ou Vicasa, para os antigos), possui intervalos cada vez maiores em suas linhas e ônibus que estragam com uma frequência absurda.

No entato, apesar de todos os percalços do passado, eis que a atual administração decide alterar certas coisas em nossa cidade, e na avenida principal, com o objetivo (segundo eles) de melhorar o tráfego no município. Pelo que andei acompanhando, o projeto já sofreu alterações em relação ao original. Mas vou comentar conforme os itens dos quais eu já ouvi falar.

– Ciclovia: Sim, uma ótima ideia. Só que as ciclovias caem melhor nas ruas periféricas. Nunca na avenida principal de uma cidade. Quem anda de bicicleta geralmente são as pessoas que valorizam formas alternativas e não poluentes de transporte. Então, quem em sã consciência vai andar de bicicleta no meio da Flores da Cunha com todo aquele movimento e poluição ao redor?

– Um túnel entre o BIG e o Shopping: Apóio. A passarela pode até ser uma boa alternativa para a enorme quantidade de pedestres que atravessam no local, mas ainda assim teriam aquelas pessoas que se arriscariam no meio dos carros porque não querem subir alguns degraus.

– Corredores de ônibus: Pelo que vi os corredores serão apenas um recuo da pista da direita. Ajuda a melhorar o tráfego, sim, mas não é nada de tão inovador em relação à atualidade. Até penso que a Flores da Cunha não teria condições de manter um corredor central visto a sua largura.

No restante, percebo que a atual obra não ajudará a melhorar o tráfego, além de causar um grande transtorno aos cidadãos que possuem hora para chegar no trabalho – muitas vezes em Porto Alegre – e depois voltar a tempo de ir para uma aula. Entendo que reformas são necessárias e espero, sinceramente, que depois de prontas as coisas realmente melhorem em Cachoeirinha. A luta por uma alça de acesso à Free-Way parece ser a solução mais rápida e eficaz, mas é uma pena que o pessoal da ANTT dificilmente leia esse blog.

Fica a minha dica para a prefeitura também em relação à Avenida Parque citada no Plano Diretor na Av. Garibaldi Pinto. Passo por ela toda as manhãs e o que vejo é apenas uma grande área sendo urbanizada aos poucos por aquelas casas bem pequenas. Parece que a avenida está perdendo o seu título de “parque”.😉

Publicado em 4 de abril de 2011, em Cotidiano. Adicione o link aos favoritos. 1 comentário.

  1. A minha opinião não cabe nem no espaço ilimitado de um comentário… Agora imagina a irritação onde já anda batendo… O lance é ganhar na mega e pelo menos enfrentar apenas o caos organizado da Capital.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: