113. 1984

1984, de George Orwell, é um dos livros dos quais eu mais ouvi falar. E sempre ouvi falar bem. Até que no final do ano passado eu resolvi comprá-lo, tendo tempo para ler somente nas últimas semanas. Escrito no final da década de 1940 (logo após o fim da II Guerra Mundial e a expansão do Socialismo pela Europa), o enredo se passa no ano de 1984, que representa, então, um futuro idealizado pelo autor.

Tudo acontece em Londres, que agora pertence a um novo país denominado “Oceania” e é regido por um único Partido, liderado pelo “Grande Irmão”. O Partido em questão é extremamente controlador e autoritário, investigando desde os pensamentos das pessoas até seus atos. Todos os lugares, inclusive os cômodos das casas, possuem telas que transmitem aos membros do Partido o que está acontecendo no local. Todos os registros históricos anteriores à chegada do Grande Irmão ao poder são destruídos.

É nesse cenário que conhecemos Winston Smith, um cidadão comum que decide se rebelar contra o governo, o que acaba levando-o a consequências que ele jamais imaginaria no começo de tudo. Smith também se envolve com Julia, sua colega de trabalho, mesmo ciente de que na sociedade em que vive, o sexo é considerado um crime grave se não for para fins de procriação.

Durante as primeiras 200 páginas do livro o autor demora bastante até mostrar as consequências dos fatos e apresentar os personagens. Mas é na parte final em que a gente não consegue mais parar de ler e ficamos ansiosos para saber como será o desfecho de Winston, Julia e o Partido. Engana-se quem pensa que 1984 é uma metáfora apenas para regimes socialistas. Em um primeiro momento é possível enquadrá-lo na busca utópica por uma sociedade igualitária. Mas ao longo das páginas percebemos que o livro trata de muito mais do que isso. Trata-se de uma comparação com qualquer outro sistema político, em que a conquista do poder gera apenas a busca por mais poder. Enfim, uma leitura bacana para o momento de eleição em que estamos.

Anúncios

Publicado em 15 de agosto de 2010, em Literatura. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: