42. Um monte de coisa sobre música (Parte II)

Ok, eu sei que disse que iria postar as outras resenhas de discos no feriadão de carnaval, mas acontece que eu não estava muito inspirado para escrever nada – me perdoem . Mas agora está aí. No outro post recebi um comentário da Gabriela Gadelha que me sugeriu ouvir March Of The Zapotec da banda Beirut. Passei quase toda a tarde de ontem tentando baixar, mas o Rapidshare não foi muito a favor e ficou dando erro toda hora. Vou tentar hoje de novo e assim que ouvir postarei aqui minha opinião. E valeu pela dica Gabriela…

Trilha Sonora do filme “Hora de Voltar” (Garden State):

Geralmente as músicas que compõem as trilhas sonoras de filmes independentes são ótimas acompanhadas das cenas, mas não funcionam muito bem quando ouvimos elas sem o filme junto. Não é o caso desta. Todas as músicas de “Garden State” são excelentes, reunindo músicas de bandas conhecidas como Don’t Panic do Coldplay e de desconhecidas como The Only Living Boy in New York, de Simon & Garfunkel. Trilha tão boa quanto o filme, que quem estiver afim de assistir pode clicar aqui e escolher entre dois servidores para baixar, já que nas locadoras ele dificilmente será encontrado.

Metallica (Death Magnetic):

Uma tentativa de juntar rock com orquestra em uma das músicas – The Unforgiven III – que não ficou muito legal. E o resto é a pancadaria de sempre, nada de inovação. Mas não são tão boas como as antigonas.

Moptop (Moptop):

Se metade das bandas nacionais fossem como o Moptop eu com certeza daria mais valor à música brasileira. Som ótimo e letras muito bem escritas que aprecem até autobiográficas. Lembra bastante The Strokes. A faixa O Rock Acabou é tão boa que virou até meu toque de celular. Esse disco que eu ouvi é o primeiro da banda. Ainda não ouvi o segundo, por isso não dá para dizer se eles continuam nessa linha.

Muse (Black Holes and Revelations):

Nunca tinha ouvido falar nada sobre essa banda britânica até que o Bruno – vulgo Zangief -, meu colega de faculdade, me disse que era muito boa. Baixei o disco no escuro e me viciei. Músicas excelentes que misturam o rock alternativo com eletrônico. Destaque para Take a Bow e Map of the Problematique. Uma ótima alternativa para quem não aguenta mais ligar o rádio e ouvir Fresno, NX Zero e cia…

Oasis (Dig Out Your Soul):

Oasis é Oasis e nunca muda. O disco novo tem os mesmo elementos do anterior, o Don’t Believe The Truth, combinando faixas agitadas com outras mais calmas. Numa escala de 0 a 10 eu daria nota 7 – não seria reprovado, mas também não passaria com excelência.

Em breve: Arctic Monkeys, Pouca Vogal, Jet e quem sabe… Beirut.
Até a próxima pessoal!

Publicado em 25 de fevereiro de 2009, em Música. Adicione o link aos favoritos. 2 Comentários.

  1. Seu gosto é muito bom! Oasis e Muse são sem comentários. Moptop eu já viu por alguns como a melhor banda brasileira, mas nunca coloquei como prioridade na lista de Cds pra baixar.

    Mas eu tenho que falar, não defender, Fresno pode ter essas músicas que falam tudo sobre a mesma coisa (eu baixei o CD as músicas parecem todas iguais), mas eu gostei da bateria, me apaixonei, na verdade. Mas eu sou suspeita para falar, meu ouvido não é super apurado e meu gosto é duvidoso. Mas eu realmente gostei do jeito como ela muda o ritmo do nada. Mas também só dá para escutar as músicas deles se concentrando bem na bateria.

  2. Ahhh Moptop é otimo!
    O segundo disco é menos sujo que o primeiro e mostra outra cara da banda, viciei tb!
    beijos e parabens!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: